domingo, novembro 27, 2005

POST SCRIPTUM...



Ainda a propósito de boas películas a que eu ainda não tinha tido o privilégio de assistir, a SIC RADICAL, ontem à noite, brindou o público português com O HOMEM ELEFANTE (1980), a obra que lançou David Lynch, com a confiança e patrocínio de Mel Brooks, para o panteão dos melhores realizadores norte-americanos da actualidade.

Já muito havia lido (e bem) sobre O HOMEM ELEFANTE, e as expectativas que nutria não me foram defraudadas. As interpretações são das melhores que já observei — sobretudo John Hurt, plenamente capaz de transmitir emoções apesar da forte maquilhagem que lhe cobria o rosto —, mas o que mais ficou "preso" na minha retina durante o visionamento é a brilhante direcção de fotografia de Freddie Francis, cuja aposta nos jogos de chiaroescuro transporta-nos para a Inglaterra do séc. XIX, ao mesmo tempo que infunde as imagens com uma certa aura de filme de terror.

Indispensável.

5 comentários:

nuno disse...

fabuloso de facto e um dos motivos de eu preferir o lynch linear...

S0LO disse...

Pelo tema parece-me ser bom, embora o Lynch não seja dos meus realizadores preferidos.

Cumps =)

o terceiro homem disse...

É um dos filmes de Lynch mais humanos. Uma obra-prima.

not_alone disse...

É realmente fantástico a forma humana como é capturada a essência daquele homem.

Sunday Morning disse...

sou uma grande fã do david lynch, desde do Eraserhead até Mulholland Dr, e estou a espera a tanto tempo para um outro filme.
The Elephant Man
"I am not an animal! I am a human being! I...am...a man!"

Por detrás uma cara desfigurada existia um homem inteligente e sensível