quinta-feira, novembro 09, 2006

THANK YOU FOR SMOKING (2006), de Jason Reitman



Provavelmente, o feito mais ousado desta sátira, protagonizada pelo cada vez melhor Aaron Eckhart, foi conseguir transformar o homem com o emprego mais desprezível e impopular do mundo numa das personagens mais bem construídas e, sejamos sinceros, simpáticas da presente temporada cinematográfica.



Nick Naylor (Eckhart) ganha a vida ("Faço isto para pagar a hipoteca", afirma ele a certo momento) como o principal porta-voz das grandes tabaqueiras, velando pela boa imagem das mesmas junto da opinião pública e apregoando a liberdade que os americanos têm como garantida para fazerem o que quer que seja - inclusive, o controverso acto de acender um cigarro. Desafiando as campanhas difamatórias de um incorrupto senador (William H. Macy) e procurando sempre inspirar pela positiva o seu único filho (Cameron Bright), Naylor conclui o filme sem nunca perder a sua dignidade e demonstrando o seu melhor atributo profissional: a capacidade de retórica, independentemente do assunto em debate.

Munido do imprescindível charme da criatividade visual e dinâmica narrativa, bem próprios de obras sobre temas delicados, THANK YOU FOR SMOKING olha para o mercado geral dos lobbies, e em particular o do tabaco, com a mesma abordagem que um realizador asiático filma sequências de acção. Despretensiosa e meticulosamente, pois são os pequenos pormenores que transmitem as morais do filme. Embora se refiram as palavras "cigarro" e "doenças respiratórias" de dois em dois minutos, nunca vemos uma personagem a fumar, nem surge a inevitável vítima de cancro da laringe, acamada e arrependida pela primeira vez que comprou um maço de Marlboro. Sintomático, apercebemo-nos de que as personagens mais apelativas são aquelas que defendem os interesses económicos e industriais mais controversos do mundo — o conceito da amizade entre Naylor e os seus congéneres para o álcool e as armas de fogo, auto-intitulados de Esquadrão da Morte, é um achado.



Estes e outros ingredientes são a chave do sucesso de THANK YOU FOR SMOKING, uma sátira ao conservadorismo e fanatismo americanos e, simultaneamente, uma porta aberta para a reflexão sobre o poder social das grandes multinacionais no mundo, incluindo as capazes de chegarem a fazer-nos duvidar dos malefícios do tabaco...

Mais informação no site oficial.

Sem comentários: