quarta-feira, janeiro 10, 2007

Top do Ano 2006: Os Mais Decepcionantes

Sim, prefiro fazer a lista dos que mais me decepcionaram. Tenho-os em menor "consideração" relativamente aos maus filmes. Se quiserem atirar-me com alguma coisa ou chamar-me os nomes mais feios que conhecem, utilizem a secção dos Comentários, se faz favor...


  1. The Departed - Entre Inimigos

  2. (The Departed, de Martin Scorsese)


    Bem que poderá parecer uma escolha estranha, mas, com grande pena minha, continuo sem conseguir obter uma opinião formada sobre este filme. E, seja ela qual for, nunca é 100% positiva. A história, as personagens, o ritmo da narrativa, Scorsese já o fez antes e, quiçá, melhor - salvam-se as interpretações. Para além disso, é perturbante o facto de começar a ficar convicto que sou o único, no panorama português, a desgostar deste THE DEPARTED...

  3. O Código Da Vinci

  4. (The Da Vinci Code, de Ron Howard)


    Um diamante bruto transformado numa mera pedra brilhante, CÓDIGO DA VINCI foi decepcionante para mim, para quem o viu comigo e para toda a comunidade blogger que visito. No fundo, não se procurou distinção (ou they didn't pushed the envelope). Pretexto para Ron Howard abandonar o conformismo?

  5. Hostel

  6. (Hostel, de Eli Roth)


    Desde muito cedo que demonstrei a minha desilusão perante este filme, no que é outro (mau?) exemplo de boa permissa mal explorada na prática. Onde andou a originalidade visual ou a vivacidade de argumento? Assim se prova que "colar" o nome de Quentin Tarantino a um filme nem sempre é sinónimo de qualidade e satisfatório...

  7. O Sentinela

  8. The Sentinel, de Clark Johnson)


    Esperava muito mais desta produção, embora confesse que não é um "desastre" completo. O elenco de primeira linha (embora haja algum miscasting, sobretudo nos casos de Eva Longoria e Kiefer Sutherland) faz o que pode com um ténue argumento, e o filme nunca consegue envolver-nos totalmente nesta história de conspiração governamental. E aquele twist, bem perto do fim: catastrófico...

  9. Instinto Fatal 2

  10. Basic Instinct 2: Risk Addiction, de Michael Caton-Jones)


    Quando surgiram os primeiros rumores acerca desta sequela do magnífico filme de Paul Verhoeven, cheguei a demonstrar alguma curiosidade. O poster estava bom, no qual constava a tagline mais interessante do ano (Everything interesting begins in the mind). O resultado final saldou-se por um avassalador sentimento de frustração.


1 comentário:

brain-mixer disse...

Ainda só vi os dois primeiros referidos, concordo com o Código, não concordo com o Departed (Pelo contrário, o remake que esperava ser uma autêntica colagem do original conseguiu ter um cunho pessoal do realizador. E isso é de louvar).

Desilusão só se for mesmo o adiamento repetido dos meus brain-movies :P