sábado, março 31, 2012

A "Polémica" do Mês #10

Como a blogosfera cinéfila nacional divergiu, este mês, sobre CAVALO DE GUERRA, de Steven Spielberg.





«O filme é, na essência, um filme otimista e que acredita que a bondade humana (ainda) é possível. Recupera, assim e com invulgar coragem, uma idealização do homem moral (transmitida, precisamente, por John Ford) destruída pelo cinismo do nosso espírito contemporâneo.»
Flávio Gonçalves, O Sétimo Continente.



«Acima de tudo, é um capricho de quem tem o poder de fazer o que lhe dá na gana.»
Tiago Mota, Espalha-Factos.



«Coisa hipócrita que reclama por lealdade e por amor ao dono ou coisa assim, coisa de tormentos do cavalinho que sofre como gente para no fim se reencontrar com o dono, sei lá, artificialidade das artificialidades que só procura os facilitismos para o mais comum dos espectadores.»
Álvaro Martins, Preto e Branco.

6 comentários:

Jorge Rodrigues disse...

Lamento mas concordo a 100% com o Álvaro. É um filme sem propósito, à deriva e artificial, feito para saudosistas, amigos de cavalos e gajas que querem chorar. É como o Tiago diz, é um capricho de quem tem demasiado dinheiro para fazer o que quer com ele.

Credo.

Cumprimentos,

Jorge Rodrigues

Flávio Gonçalves disse...

Obrigado pelo destaque Samuel.

Tenho lido muito e mal deste filme. Compreendo. É fácil apontar o dedo a Cavalo de Guerra.

Mas também gostava de frisar que não me vejo incluído no grupo de pessoas saudosistas, amigos de cavalos e gajas que querem chorar. E, relativamente, à crítica do Álvaro (por quem tenho um enorme respeito) também gosto de pensar que não estou entre "o mais comum dos espectadores".

Cada qual com a sua opinião, claro. Mas, peço, também com atenção para a especificidade da natureza de um filme - que, sei lá, não pode ser "arrumado" nesta coisa dos "filmes fáceis" ou "facilitistas".

O que é um filme fácil? O Cavalo de Guerra é um filme fácil?

Jorge Rodrigues disse...

E lembras-me agora que ainda não escrevi sobre esta pérola... Passou para o topo da lista :)

Jorge Rodrigues disse...

Flávio -- eu respeito a tua opinião. Eu só não consigo ver mais neste filme que um aproveitar de um sem número de ocasiões para fazer o espectador soltar um 'aww'...

Muito sofrível.

Cumprimentos,

Jorge

Flávio Gonçalves disse...

Percebo-te Jorge e, quanto a mim, que vejo Cavalo de Guerra como um filme razoável mas interessante, reparei que a artificialidade não funcionava nalguns momentos. Dou dois como exemplo: o final, com a fotografia filtrada a vermelho, e na reta inicial, quando o protagonista tenta que o cavalo lavre a terra e não consegue, o céu de luminoso e limpo passa a... chover torrencialmente :)

Inês Moreira Santos disse...

Excelente escolha para polémica do mês. Eu situo-me ali no misto/contra. Tenho um certo ódio de estimação por este filme. :P