domingo, janeiro 11, 2004


CINEMA vs. CONTROVÉRSIA

Se há coisa que sempre me causou grande impressão é a polémica de que se rodeia certos filmes, mesmo quando os mesmos não têm nenhuma mensagem abertamente controversa. E, salvo raras excepções, essa polémica provem dos sítios mais improváveis, fora do âmbito da produção da película em causa.
Todos estão ao corrente do que aconteceu a filmes como FIGHT CLUB ou SWORDFISH, títulos altamente marcados pelo selo da polémica. O primeiro viu a sua estreia adiada devido ao massacre no colégio de Columbine (EUA), em 1999; o segundo estreou uma semana antes do atentado ao WTC, sendo obrigado a "retirar-se" das salas em que estava em exibição. As razões foram nobres, disso não haja dúvidas. Contudo, os senhores que tomaram essa decisão esqueceram-se duma coisa: são obras de ficção! Ou terão tido receio de que o público se aperceba da realidade que o envolve?
Bom, mas não é por aí que vou entrar (senão, ainda vão pensar que é mesmo o Keyser Soze o webmaster deste blog!). Serve esta introdução para apresentar-vos a polémica que já está a marcar o novo filme de animação da Dreamworks, a estrear em Outubro, SHARK TALE (www.sharktale.com). Acerca deste título, ainda pouco se sabe - é uma história da Mafia subaquática com uma constelação de estrelas do cinema moderno (De Niro, Will Smith, Angelina Jolie,...). Contudo, as vozes de discórdia são muitas.
Durante uma das minhas (habituais) rondas pelo IMDB, encontrei por acaso um fórum de discussão com o título: "Boicote planeado para SHARK TALE da Associação de Italo-Americanos". Aí, a associação critica a imagem que Hollywood dá àquela comunidade, amíudemente associada ao crime organizado. Como se fosse uma grandiosa conspiração, o autor desse fórum dispara em todas as direcções, tentando-nos convencer de que se trata duma versão d'Os Sopranos para crianças. Tive logo vontade de refutar, de gritar que era tudo um disparate, mas conti-me. Que diabo! O filme só estreia em Outubro, ainda não há UM único trailer disponível e já se diz que um filme de animação vai influenciar negativamente o público infantil!
É por este tipo de influências que obras como as que citei no primeiro parágrafo foram tão injustiçadas, crítica e financeiramente. O repto que lanço hoje é que se deixe de confundir ficção com realidade. Por mais que esta doa ou seja penosa de assistir, considero que a magia do cinema devia estar imune às polémicas que se desenrolam fora dos ecrãs. Devia haver uma lei que o proibísse! Já pensaram no que podia ser se deixassemos de comparar a(s) nossa(s) vida(s) com a que passam nos filmes? Pensem nisso...

P.S. - se estiverem interessados em acompanhar a "discussão", aki vai o link:http://www.imdb.com/title/tt0307453/board/nest/4500121


Sem comentários: