terça-feira, dezembro 23, 2008

2008: Os Melhores

E chegamos à inevitável época de balanço do ano que agora termina. Como já é tradição no Keyzer Soze's Place, deixo-vos com o Top 10 dos melhores filmes de 2008, de acordo com este "autor":


HAVERÁ SANGUE


Um filme completo em todos os sentidos, começando pelo brilhantismo da (multipremiada) interpretação de Daniel Day-Lewis até ao fantástico trabalho de recriação histórica dos primórdios da exploração do petróleo nos EUA. Destaque também para a forma como esta história de ambição e crueldade ecoa com a situação económica dos nossos dias. É a confirmação de Paul Thomas Anderson como o cineasta maior da sua geração.


TEMPESTADE TROPICAL


A melhor comédia de 2008, constitui uma prova final do que pode acontecer quando se dá "rédea solta" aos ímpetos criativos de Ben Stiller, que aqui acumulou os cargos de protagonista, realizador, argumentista e produtor. Mais do que uma sátira mordaz aos meandros da fama e poder instituídos em Hollywood, TEMPESTADE TROPICAL vive das suas interpretações, nas quais se destacam Robert Downey Jr. e um irreconhecível Tom Cruise no seu papel mais "louco" desde MAGNÓLIA.


THE DARK KNIGHT - O CAVALEIRO DAS TREVAS


A interpretação de Heath Ledger é assombrosa, mas todo o filme consegue fazer-lhe frente. Como se estivesse a adaptar uma versão em banda desenhada de HEAT - CIDADE SOB PRESSÃO, Christopher Nolan concebeu um épico urbano onde as personagens, apesar das suas "origens cartoon", têm espaço privilegiado entre todos os (fantásticos) efeitos especiais do filme. Após o seu retumbante sucesso, só resta uma dúvida: conseguirá mesmo lutar pelos grandes prémios de Cinema este ano?


HOMEM DE FERRO


Robert Downey Jr. é a grande força motriz deste filme, conseguindo sobrepor-se aos fenomenais efeitos visuais aqui patenteados. Não me canso de referir o quão satisfatório é ver este actor de regresso à boa forma, depois de alguns anos de conturbada recuperação de toxicodependências. HOMEM DE FERRO vale, também, como símbolo da nova vaga de adaptações de heróis BD, que têm conhecido uma seriedade nunca antes testemunhada.


ESTE PAÍS NÃO É PARA VELHOS


Há muito tempo que não víamos os irmãos Coen produzirem uma obra plena de violência e humor negro (provavelmente, desde FARGO), e desta vez assente no excelente background literário que é Cormac McCarthy. Javier Bardem merece todos os elogios e prémios que angariou, concebendo aquele que será o serial killer mais icónico deste princípio de século XXI.


WALL-E


Uma história de amor entre robots que assinala a indiscutível maturidade técnica e narrativa dos estúdios Pixar. Fabulosa a forma como o filme nos transmite as emoções dos personagens através dos seus subtis movimentos ou peculiares "zumbidos" electrónicos. Merecedor do buzz que tem obtido recentemente como provável concorrente ao Óscar de Melhor Filme (e não apenas na categoria de Animação), é uma obra de (re)visão obrigatória.


NOME DE CÓDIGO: CLOVERFIELD


Primeiro blockbuster de 2008, e angariou esse estatuto assim que iniciou a sua campanha de marketing. O culto e a discussão à volta do seu conteúdo foram maciços mesmo antes da sua estreia, e o produto final está perfeitamente à altura dessa antecipação. A magnífica combinação de efeitos visuais e imagens filmadas com camcorder proporcionam uma experiência única - e ainda nos dá personagens por quem vale a pena "sofrer"...


O ASSASSÍNIO DE JESSE JAMES PELO COBARDE ROBERT FORD


A obra mais "bonita" de 2008, graças à paleta de cores escolhida pelo director de fotografia Roger Deakins, o visual do filme supera o seu ritmo complexo e vagaroso, tornando-o, de forma quase imperceptível, num dos meus vícios cinematográficos recentes. A somar, presenciamos as duas grandes performances de Brad Pitt e Casey Affleck, maravilhosamente escolhidos para os seus papéis. E quem pode resistir ao encanto do seu título, tão longo que quase não permitia a sua comercialização?


VIGILÂNCIA


Detentor de "pedigree de luxo", o segundo filme de Jennifer Lynch (filha do mestre David) foi sempre devassado pela crítica por onde quer que tenha passado - desde Cannes até ao New York City Horror Film Festival -, a qual não ficou seduzida perante o poderoso exercício de humor negro encapotado de thriller policial que VIGILÂNCIA encerra, possuindo ainda o twist final mais perverso do ano. Merecedor duma atenta revisão às suas qualidades.

10º
TROPA DE ELITE


Polémico q.b., ao qual se colou o epíteto de elogiar a violência exercida por uma das forças policiais mais específicas do mundo, TROPA DE ELITE sobreviveu a toda e qualquer pressão - incluindo o montante recorde de pirataria digital de que foi alvo. Fiel à escola do «cinema verité brasileiro», esta obra é um retrato social e drama humano num só pacote, conseguindo ser, também, um dos casos mais particulares de filme de culto.

E quais são as vossas escolhas?

1 comentário:

The movie_man disse...

Excelentes escolhas. Apenas não vi Jesse James e Vigilância (dois filmes que não tive oportunidade de ver mas que anseio em descobrir). Quanto ao meu top, ainda não pensei nele mas quando estiver pronto, aqui o colocarei.

Cumprimentos cinéfilos e Feliz Natal!