sábado, fevereiro 07, 2009

THE READER (2008), de Stephen Daldry



Michael Berg (Ralph Fiennes e David Kross na versão jovem do personagem) é um advogado alemão que, durante a sua adolescência, nutriu uma relação amorosa com uma mulher mais velha chamada Hanna Schmitz (Kate Winslet). Durante os seus encontros, Michael dedica grande parte do tempo a recitar, para desfruto de Hanna, os vários livros que compõem o seu currículo escolar. Um dia, Hanna desaparece, ressurgindo na vida de Michael, anos mais tarde, como ré de um tribunal de crimes de guerra pelas suas acções como guarda de um campo de concentração nazi. Como espectador deste processo, Michael apercebe-se que Hanna é analfabeta, um segredo por ela ocultado em detrimento da sua própria liberdade.



Gerador de imenso buzz negativo pela sua presença destacada entre os nomeados para os Óscares (às custas dos mais populares THE DARK KNIGHT — O CAVALEIRO DAS TREVAS, GRAN TORINO ou THE WRESTLER), é impossível não elogiar a qualidade emocional aqui empregue por Stephen Daldry, correndo, inclusive, o risco de querer fazer-nos simpatizar por uma mulher de passado ambíguo. No entanto, também não posso deixar de frisar a mediania que alastra neste THE READER, apenas sustido pelas interpretações de David Kross (uma das revelações de 2008) e (claro!) Kate Winslet, que bem poderá merecer o galardão de Melhor Actriz no próximo dia 22 de Fevereiro. Um magnífico trabalho na criação de uma personagem totalmente desprovida de glamour (e de roupa na sua grande parte), conquista o espectador com, por exemplo, uma simples expressão de encanto e melancolia ao ouvir um coro infantil. São estes exíguos pormenores que fazem a diferença num filme sem "estofo" para marcar a história recente da Sétima Arte.

1 comentário:

Fifeco disse...

Aqui sou obrigado a discordar contigo. A meu ver, "The Reader" é um excelente filme que prima pela profundidade ao invés da habitual dinâmica narrativa.

E quanto a mim, tem sérias hipóteses de ser a surpresa na noite de Oscars de Domingo. Não que seja o meu favorito mas creio que poderá triunfar.

Abraço