quarta-feira, outubro 27, 2010

Faial Filmes Fest 2010



O Faial Filmes Fest, dedicado a curtas-metragens, levará a cabo, de 31 de Outubro a 7 de Novembro, a sua 6ª edição.

A Selecção Oficial dos filmes em competição já é conhecida, num certame que irá primar pelo cinema proveniente de quase todos os países lusófonos. Aliás, o cinema português estará em destaque, com a homenagem que será prestada a Manoel de Oliveira (PAINÉIS DE SÃO VICENTE DE FORA - VISÃO POÉTICA será exibido na sessão de encerramento) e pelas presenças de Manuel Mozos e Edgar Pêra, entre outros.

O Keyzer Soze's Place destaca, de seguida, os títulos mais sonantes que serão exibidos durante o Festival:

. O ESTRANGEIRO, de Ivo Ferreira



Uma personagem quase ausente na imagem procura, em Macau de 2009, o Estrangeiro, alguém que ali viveu quinze anos antes. Com recurso às cartas que o Estrangeiro lhe escrevia naquele período, o recém-chegado tenta encontrar o amigo desaparecido reconstituindo tudo o que imaginou com aquelas informações. Assim, percorre no presente os rastos que o Estrangeiro deixou no passado enquanto cria vestígios de uma nova ausência.

. O RELÓGIO DE TOMÁS, de Cláudio Sá



O tempo não volta atrás, e bem lá atrás ficam momentos aos quais não damos o devido valor. Com a chegada de um relógio mágico, Tomás vai ter o privilégio de "mandar no tempo". Ou irá este ensinar-lhe a viver?

. JOHANA, de Natércia Chicane



A vida de Alice é o exemplo da história de muitas mulheres moçambicanas que viram os seus maridos partirem para Joanesburgo em busca de melhores condições. "Johana" é a solução para muitos homens — terra de onde trazem roupas, sapatos, comida, tecidos e muito dinheiro. Contudo os objectivos traçados nem sempre são cumpridos.

. VOA VOA NUM PRÉDIO DE LISBOA, de Joana Toste



"It is logical, that it is easy to live in a world with logic, using logically its logic!"

. CANÇÃO DE AMOR E SAÚDE, de João Nicolau



João é o único empregado visível no estabelecimento comercial Chaves Morais. É também o filho do proprietário e não se coíbe de se ausentar do serviço para auscultar o sopro imaterial do seu coração gastando moeda atrás de moeda na Máquina do Amor. Marta do Monte é uma estudante de Belas Artes portadora de uma inusitada encomenda. A chave que para ela João copia abre mais que uma porta.

. AOS PÉS, de Zeca Brito



Mostrando apenas os pés dos personagens, o filme AOS PÉS discute a questão da arte e suas manifestações diante das estranhezas do mundo e da matéria. O amor como ridículo, subterfúgio da irremediável solidão humana.

. NENHUM NOME, de Gonçalo Waddington



Depois de um grave acidente de automóvel em que a mulher, grávida de seis meses, morre, X, de 35 anos, é internado numa unidade de cuidados intensivos. K, uma enfermeira de 30 anos, acompanha a reabilitação de X. K também está grávida de seis meses. O detalhe torna mais forte a sua aparentemente impessoal relação.

. L'ARC-EN-CIEL, de David Bonneville



Quitterie, uma mulher europeia de 40 anos, mantém viva a paixão por Imamura (18 anos), o seu parceiro recentemente falecido. Ela tem sucessivos encontros com rapazes que leva para sua casa, veste-os com roupas pertencentes a Imamura e submete-os a experiências eróticas desconcertantes.

. O ESPELHO LENTO, de Solveig Nordlund



Baseado num conto de Richard Zimler, conta a história de Carla e a sua filha, que está gravemente doente. De visita a Barcelona, Carla descobre um espelho que em vez de devolver o reflexo, guarda-o por vários anos.

. CRIME / ABISMO AZUL / REMORSO FÍSICO, de Edgar Pêra



Amadeu não só foi um grande pintor, mas um artista total. Apanhado na ratoeira do país onde nasceu, pelo tempo de destruição em que viveu e por si mesmo, teve uma vida curta e não lhe foi consentido o reconhecimento internacional que poucos artistas portugueses podiam ter tido.

O alinhamento completo do Festival pode ser consultado neste endereço.

Sem comentários: