domingo, dezembro 05, 2010

Cineclubismo

O 9500 Cineclube inicia, amanhã, um novo ciclo temático que se vai revelar literalmente histórico.

Intitulado «História do Cinema», pretende-se divulgar e permitir um cuidadoso olhar sobre os primórdios da Sétima Arte. Para começar, nada melhor do que O LÍRIO QUEBRADO (1919), realizado por D.W. Griffith, sem dúvida um dos pioneiros do que hoje em dia se apelida de gramática cinematográfica.



Trocando a dimensão épica e espectacular de O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO (1915) e INTOLERÂNCIA (1916) por um lirismo exacerbado, O LÍRIO QUEBRADO, à época considerado "a primeira genuína tragédia do Cinema" (Photoplay), tem uma rara intensidade emocional, sublinhada por uma atmosfera visual que fez história. Foi a primeira experiência para cinema do fotógrafo Hendrik Sartov, responsável pelos planos de imagens difusas que tornaram célebre a fotografia do filme.

Três interpretações inesquecíveis: Lillian Gish, Richard Barthelmess e Donald Crisp.



Sem comentários: