quinta-feira, maio 17, 2012

Festival de Cannes 2012 — Dia 1



. MOONRISE KINGDOM, de Wes Anderson

Elenco e o realizador posam para os fotógrafos

«Foi realmente revigorante ser dirigido desta forma tão específica. Num mundo em que, na maioria dos filmes, não se fazem ensaios nem ninguém quer pensar sequer nisso, foi tão agradável que me tivessem solicitado para interpretar este papel com uma determinada orientação.», Bruce Willis sobre a experiência de trabalhar às ordens de Wes Anderson, durante a conferência de imprensa para MOONRISE KINGDOM.

Wes Anderson sob o sol da Côte d'Azur

«This is a Wes Anderson film — more lightweight than some, possessing a stronger emotional undertow than others — that will strike the uninitiated as conspicuously arch.», Todd McCarthy in The Hollywood Reporter.

«A very charming, beautifully wrought, if somehow depthless film — eccentric but heartfelt, and thought through to the tiniest, quirkiest detail in the classic Anderson style.», Peter Bradshaw in The Guardian.

«MOONRISE KINGDOM represents a sort of non-magical Neverland — that momentous instant when the world can seem so small and a naive crush can feel all-consuming.», Peter Debruge in Variety.

. Sacha Baron Cohen passou pela Croisette para promover O DITADOR. O resultado esteve dentro do "expectável":





[Fotos: Site oficial do Festival, The Telegraph e The Guardian.]

Sem comentários: