segunda-feira, maio 21, 2012

Festival de Cannes 2012 — Dia 5



. AMOUR, de Michael Haneke (Em Competição)

Michael Haneke ladeado pelo elenco de AMOUR

Haneke na conferência de imprensa

«Nunca faço um filme para provar seja o que for. Quando se atinge uma determinada idade, é inevitável ser-se afectado pelo sofrimento. E não quis mostrar mais nada que não fosse isso», Michael Haneke, durante a conferência de imprensa de AMOUR.

Jean Louis Trintignant

«How do you grade a film this honest, this gut-wrenching and this well made? Is the judgment of film based solely on entertainment value or the accomplished nature of what's on screen regardless? I'll say this... AMOUR is not entertaining, but to dismiss it for that reason seems wrong», Brad Brevet in Rope of Silicon.

«Consummate acting helps ease a painful watch, as Michael Haneke describes the ultimate test of love in a profoundly honest study of sickness and dying», Deborah Young in The Hollywood Reporter.

«A tender, wrenching, impeccably directed story of love and death», Manohla Dargis in The New York Times.

. JAGTEN / THE HUNT, de Thomas Vinterberg (Em Competição)

Thomas Vinterberg e o protagonista de JAGTEN, Mads Mikkelsen

Q&A com Vinterberg e Mikkelsen

«O filme decorre no seio do microcosmos de uma pequena cidade, onde uma informação espalha-se rapidamente, como um vírus. Por causa da Internet, o mundo transformou-se numa pequena cidade cheia de rumores. Mas o que interessa mais no filme é o amor entre as personagens. De como tentam aproximar-se apesar de todos mal-entendidos», Thomas Vinterberg, sobre os temas de JAGTEN.

O actor Bo Larsen, provando que ainda é possível fumar em recintos fechados

«Forthright, powerful, composed and directed with clarity and overwhelming force, yet capable of great subtlety and nuance», Peter Bradshaw in The Guardian.

«This is cinema that sinks its claws into your back», Robbie Collin in The Telegraph.

«Intense, wounded, wrung out and pushed to the brink of insanity, Mikkelsen’s Lucas is a devastating characterization, all the more so because his outbursts of rage are so infrequent», David Rooney in The Hollywood Reporter.

[Fotos: Site oficial do Festival.]

Sem comentários: