quarta-feira, abril 17, 2013

O Cinema dos Anos 2000: Ken Park — Quem És Tu?, de Larry Clark e Edward Lachman




Sem moralismos nem pudores, KEN PARK — QUEM ÉS TU? lança-se à observação, distante mas complexa, de uma adolescência suburbana (esse "paraíso" de extrema variedade sócio-cinematográfica) desiludida, desapegada e pervertida sem causa aparente. Ou assim parece. Nas mãos de Larry Clark — realizador que, após KIDS — MIÚDOS (1995) e BULLY — ESTRANHAS AMIZADES (2001), está longe de ser um "caloiro" na abordagem peculiar sobre juventude problemática —, as explicações advêm da atmosfera concebida a partir de um conjunto de personagens sem possibilidade de empatia ou redenção. E, da mesma forma, estamos perante algo mais do que um simples filme; este é um conjunto de momentos, de circunstâncias e de personalidades em direcção a conclusões tão perturbadoras quanto as cenas mais polémicas de uma obra que, pelo seu conteúdo gráfico, ainda não contornou os imperativos legais de exibição pública em países como a Austrália e a Bélgica.

Tal não significa, contudo, que aqui não exista narrativa. O fantasma do Ken Park do título, o qual comete suicídio com um sorriso no rosto logo na primeira cena, paira sobre as personagens durante toda a duração do filme. Essa influência manifesta-se não na forma de entenderem as razões do amigo para terminar a vida, mas sim na busca da sua própria identidade num contexto social onde os adultos (leia-se, figuras parentais) dominam de forma irresponsável, absurda e, por vezes, monstruosa. O abuso sofrido pelos quatro protagonistas, descrito de modo "episódico", é revelador de uma obediência quase inocente e catalizadora de comportamentos desviantes (promiscuidade, violência doméstica, homicídio e, até, incesto) que substanciam os temas de KEN PARK.

Como fica patente, as intenções de Clark, Lachman e do argumentista Harmony Korine ultrapassam a exposição de plot points nem pretendem, tampouco, condescender na vontade de conceber uma obra de agradável visualização para o espectador, confrontando-o com sequências abundantes em violência e, sobretudo, sexo não simulado. Nessa óptica e no seio do Cinema dos anos 2000, KEN PARK — QUEM ÉS TU? é uma obra de extrema radicalidade que configura, na oposição e jogos de subjugação entre adolescentes e adultos, uma visão pessimista sobre uma geração receosa, frustrada e confusa, de evidente aguerreação (mesmo que esta seja errada na forma) e à procura de uma existência terna e reconfortante.

por Samuel Andrade.

Elenco
. Adam Chubbuck (Ken Park), James Bullard (Shawn), James Ransone (Tate), Stephen Jasso (Claude), Tiffany Limos (Peaches), Maeve Quinlan (Rhonda), Bill Fagerbakke (Bob), Wade Williams (Pai de Claude), Julio Oscar Mochoso (Pai de Peaches)



Sem comentários: