sexta-feira, junho 07, 2013

O Cinema dos Anos 2000: The Brown Bunny, de Vincent Gallo




THE BROWN BUNNY é filme da última década e é talvez dos mais importantes. Coisa curiosa por ser realizado por Vincent Gallo, alguém que desperta as mais inúmeras reações em todo mundo. Goste-se ou não Gallo sabe o que faz, já o tinha provado nesse grande filme chamado BUFFALO '66.

Primeiros planos numa pista de motos, um deserto e um personagem. Personagem esse que vai percorrer um longo caminho, não se sabe bem para onde, sem rumo, nem porque vagueia ele neste mundo. O certo é que o seu olhar carrega algo forte, um passado de marcas e de dor. E ninguém melhor do que Vincent Gallo (actor) para encarnar Bud. Os silêncio de Bud dizem muito mais do que palavras poderiam dizer. E mais do que tudo, o rimo do filme, coisa que parece não agradar a muita gente.

THE BROWN BUNNY é filme deste mundo, filme de 2003, filme de mágoa e de feridas. Espera-se mais filmes deste grande cineasta, filmes que parecem tardar. Mais do que tudo, THE BROWN BUNNY pode não agradar à maioria do público mas se há coisa que me interessa no cinema actual, é isto.

por João Gonçalves (Modern Times).

Elenco
. Vincent Gallo (Bud Clay), Chloë Sevigny (Daisy), Cheryl Tiegs (Lilly), Elizabeth Blake (Rose), Anna Vareschi (Violet), Mary Morasky (Mrs. Lemon)


Palmarés
. Viennale: Prémio FIPRESCI (Vincent Gallo)


Sobre Vincent Gallo

Actor, realizador, argumentista, modelo e músico. Ao seu semi-protagonismo em títulos como A IDADE MAIOR (1991, Teresa Villaverde) e O FUNERAL (1996, Abel Ferrara) sucedeu-se um percurso inigualável e controverso como cineasta, chocando plateias e antagonizando críticos de cinema — nomeadamente, Roger Ebert. BUFFALO '66 e PROMISES WRITTEN IN WATER (2010) são os outros títulos de Gallo enquanto realizador.



2 comentários:

João Palhares disse...

O homem fechou o PROMISES WRITTEN IN WATER a sete chaves. Que pena, queria imenso ver esse filme.

Sam disse...

João, obrigado pelo teu comentário.

De facto, tinha ideia que o PROMISES WRITTEN IN WATER nunca foi exibido publicamente e, por isso, não o mencionei na "nota biográfica" do Gallo.

Fica a confirmação.

Cumps cinéfilos.