quarta-feira, janeiro 23, 2008

Óscares 2008: apostas pessoais



Kathy Bates e Sid Ganis, presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, foram os mestres-de-cerimónias durante o anúncio, ontem ao princípio da tarde, dos nomeados para a 80ª edição da entrega dos Prémios da Academia de Hollywood.

Chega agora a época das apostas para arriscar, nem que remotamente, uma previsão dos vencedores no próximo dia 24 de Fevereiro. O Keyzer Soze’s Place segue esta “onda” e apresenta os seus palpites. Comentários e reparos são bem-vindos.

Melhor Filme:
Principais candidatos: num ano que promete indecisão até ao derradeiro minuto, o favoritismo recai sobre três títulos: NO COUNTRY FOR OLD MEN, THERE WILL BE BLOOD e EXPIAÇÃO são os óbvios cabeças-de-série para arrecadar o principal galardão da noite; sinal mais forte para NO COUNTRY FOL OLD MEN, aclamado como Filme do Ano por dez associações de crítica norte-americana.
Outsider: JUNO, definitivamente o típico filme "doce e leve" que costuma agradar à Academia. Basta recordar o efeito que UMA FAMÍLIA À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS proporcionou à cerimónia do ano passado.
Preteridos: destaque para as ausências, nestes cinco finalistas, de SWEENEY TODD: THE DEMON BARBER OF FLEET STREET e PROMESSAS PERIGOSAS.

Melhor Actor Principal:
Principais candidatos: o sufocante hype que tem sido criado à volta de Daniel Day-Lewis coloca-o no topo da lista, e a enxurrada de prémios que tem vencido (oito prémios de crítica e o recente Globo de Ouro) sustentam a tendência. Contudo, existem motivos válidos (e o reconhecimento do National Board of Review) para George Clooney “espreitar” a possibilidade de uma chamada triunfal ao palco…
Outsiders: se a Academia decidir premiar quem nunca conquistou a estatueta, este pode ser o ano da consagração de Johnny Depp (após duas derrotas em edições anteriores) ou da recompensa de Viggo Mortensen pela sua estreia nestas andanças. O exemplo de Adrien Brody, por o PIANISTA, demonstra a viabilidade desta hipótese.
Preteridos: pareciam certas as presenças de James McAvoy, por EXPIAÇÃO, e Emile Hirsch, por INTO THE WILD. Denzel Washington, pelo seu protagonismo contagiante em GANGSTER AMERICANO, e Frank Langella, o rei dos prémios de interpretação do cinema indie por STARTING OUT IN THE EVENING, também figuram entre os esquecidos de 2008.

Melhor Actriz Principal:
Principais candidatas: Julie Christie tem “varrido” quase todos os prémios este ano, mas o Globo de Ouro atribuído a Marion Cotillard, pela sua personificação de Edith Piaf, inverteu o rumo das apostas.
Outsider: Ellen Page, por JUNO, causou sensação no circuito independente norte-americano. Contagiará a Academia?
Preteridas: a ausência de Keira Knightley entre o rol de nomeadas constitui a maior surpresa: pelos vistos, a arrebatadora performance em EXPIAÇÃO não fez esquecer a sua Elizabeth de OS PIRATAS DAS CARAÍBAS. Angelina Jolie, por UM CORAÇÃO PODEROSO, também se afigurava como candidata de peso. O entusiasmo surreal de David Lynch pode ter minado uma indicação para Laura Dern por INLAND EMPIRE.

Melhor Actor Secundário:
Principal candidato: Javier Bardem. Nada mais há a dizer.
Outsider: Casey Affleck cativou e surge em boa posição para disputar o galardão. O visual sui generis de Philip Seymour Hoffman também poderá “desequilibrar” o resultado final.
Preteridos: a presença de Paul Dano em THERE WILL BE BLOOD foi bastante elogiada, mas não o suficiente para granjear uma nomeação. Algum do elenco coadjuvante de PROMESSAS PERIGOSAS – sobretudo, Armin Mueller-Stahl e Vincent Cassel – demonstrou argumentos para discutir um lugar.

Melhor Actriz Secundária:
Fortes candidatas: Cate Blanchett já se afigura como vencedora, mas Amy Ryan, por GONE BABY GONE (a auspiciosa e elogiada estreia de Ben Affleck como realizador), tem motivos de peso para sonhar com o triunfo.
Outsiders: a surpresa da nomeação de Ruby Dee (GANGSTER AMERICANO), que havia estado virtualmente arredada de todos os outros círculos de prémios cinematográficos, poderá agoirar uma retumbante surpresa na noite de 24 de Fevereiro.
Preteridas: Julia Roberts aparentava um rumo certo para a nomeação por JOGOS DE PODER. Catherine Keener seguiu a “negligência” quase geral ofertada a INTO THE WILD.

Melhor Realizador:
Principais candidatos: acompanhando a tendência das nomeações para Melhor Filme, a consagração poderá estar destinada a Paul Thomas Anderson (THERE WILL BE BLOOD) ou aos irmãos Coen (NO COUNTRY FOR OLD MEN). No entanto, estes últimos já receberam Óscares pelo argumento de FARGO (1996), e não ficaria mal reconhecer o brilhantismo de Paul Thomas Anderson em obras anteriormente esquecidas pela Academia, como BOOGIE NIGHTS – JOGOS DE PRAZER (1997) ou MAGNÓLIA (1999).
Outsider: sem dúvida, Julian Schnabel pela inspirada e original transposição cinematográfica de um indivíduo incapacitado por AVC.
Preteridos: Joe Wright demonstrou know how pelo seu trabalho em EXPIAÇÃO, mas não entrou no rol final de nomeados. 2007 assumia-se como ano propício ao consenso relativamente a David Cronenberg (PROMESSAS PERIGOSAS) e Tim Burton (SWEENEY TODD).

Destaques e esquecimentos gerais:
- apesar da ocasional nomeação, “esperava-se mais” de títulos relevantes estreados em 2007, tais como:
ACROSS THE UNIVERSE, de Julie Taymor;
O ASSASSÍNIO DE JESSE JAMES PELO COBARDE ROBERT FORD, de Andrew Dominik;
GANGSTER AMERICANO, de Ridley Scott;
INTO THE WILD, de Sean Penn;
THE KITE RUNNER, de Marc Forster;
GONE BABY GONE, de Ben Affleck;
LARS AND THE REAL GIRL, de Craig Gillespie.

- “notáveis” olvidados pela Academia:
A FACE OCULTA DE MR. BROOKS, de Bruce A. Evans;
BEFORE THE DEVIL KNOWS YOU’RE DEAD, de Sidney Lumet;
CONTROL, de Anton Comjin;
HOMEM-ARANHA 3, de Sam Raimi;
INLAND EMPIRE, de David Lynch;
LUST, CAUTION, de Ang Lee;
PARANOID PARK, de Gus Van Sant;
4 MESES, 3 SEMANAS E 2 DIAS, de Cristian Mungiu;
THE GREAT DEBATERS, de Denzel Washington;
300, de Zack Snyder;
e ZODIAC, de David Fincher.

- aparentemente, os Óscares não se renderam ao “poder” da televisão transportado para a Sétima Arte, ignorando OS SIMPSONS – O FILME e A HISTÓRIA DE UMA ABELHA como potenciais candidatos ao Óscar de Melhor Animação.

- a categoria de Melhor Filme Estrangeiro encerra o maior mistério de 2008: cinco nomeados, cinco incógnitos.

- nos documentários, Michael Moore assinala o regresso da controvérsia à cerimónia, com a sua nomeação por SICKO.

2 comentários:

brain-mixer disse...

Para mim o choque foi ver o Spiderman 3 arredado dos efeitos visuais...

Gonçalo Trindade disse...

É como dizes: o grande duelo é mesmo entre os Coen e o PT Anderson. Cheira-me que vão ganhar os Coen, mas a ver vamos...