sexta-feira, maio 14, 2010

Festival de Cannes 2010 — Dia 2



Dois anos depois da homenagem que lhe foi prestada por ocasião do seu centésimo aniversário, Manoel de Oliveira regressou a Cannes para estrear, na secção «Un Certain Regard», O ESTRANHO CASO DE ANGÉLICA.



E a principal portuguesa no Festival deste ano foi recebida positivamente por público e crítica. Esta última, aliás, caracteriza o mais recente filme de Oliveira como um somatório de toda a sua carreira: os longos e estáticos planos sequência que, propositadamente, endurecem a representação e respectivos diálogos artificiais; o árido humor; a fantástica fotografia e sublime mise-en-scène; os subtis ataques à burguesia; a imaginação poética; etc.



O segundo dia assinalou, também, o arranque das projecções dos filmes em competição oficial. Mathieu Amalric, em TOURNÉE, narra a história de Joachim, um produtor de televisão parisiense que viaja para os EUA em busca de uma nova vida. Durante a conferência de imprensa, o realizador descreveu o seu filme como um veículo perfeito para «criar caos e desobediência sem deixar de transmitir uma mensagem específica».



Sem comentários: