quinta-feira, setembro 30, 2010

Tony Curtis (1925 — 2010)



«A fama é outra profissão. Por isso, tenho duas profissões: a profissão de actor e a profissão de famoso.»

Com o seu cabelo escuro "ornamentalmente" encaracolado (que, sem dúvida, Elvis Presley imitou), olhos azul-claro e lábios carnudos, Tony Curtis representou o novo tipo de beleza masculina que se tornou moda nos inícios dos anos 50. Apesar disto, e de uma vigorosa heterossexualidade bastante publicitada, a sua carreira ficou marcada por papéis onde dominou a ambiguidade de género: a imitação de uma mulher em QUANTO MAIS QUENTE MELHOR (1959), um escravo que atrai o interesse de um Senador romano em SPARTACUS (1960) e um homem atraído por uma misteriosa loira que é a reencarnação do seu falecido melhor amigo em QUANDO ELA ERA ELE (1964).

Mas Tony Curtis também foi um actor de grande capacidade dramática, que combinava a ambição desmedida com profunda vulnerabilidade. Tal ficou patente em títulos como THE DEFIANT ONES (1958), ao lado de Sidney Poitier e pelo qual foi nomeado para um Óscar, THE BOSTON STRANGLER (1968) ou UMA NOITE INESQUECÍVEL (1985).

Do seu romance com Janet Leigh nasceu a actriz Jamie Lee Curtis, cujos representantes anunciaram, oficialmente, o falecimento de Tony Curtis, na sua casa em Las Vegas, vítima de paragem cardíaca.

4 comentários:

Dan disse...

Nossa Samuel, não estava sabendo, farei uma homenagem no meu blog.Grande perda, um de meus atores favoritos.

Abraços

Maninha disse...

Necrologia em alta, esta semana :/

Sam disse...

Dan,

foi uma (má) notícia súbita.

Maninha,

Realmente... este blog mais parece uma coluna de efemérides...

Maninha disse...

Não foi isso que quis dizer :)