segunda-feira, janeiro 10, 2011

Peter Yates (1929 — 2011)



«Will be fondly remembered among action fanatics for his groundbreaking direction of one of the baddest badass car chases in the history of cinema», Marc Campbell.

A carreira de Peter Yates conheceu imensos altos e baixos, contudo ninguém pode negar que o cineasta britânico deixou marca indelével na indústria norte-americana, concebendo alguns dos clássicos mais duradouros da história do Cinema.

Formado pela Royal Academy of Dramatic Art, Yates iniciou o seu percurso cinematográfico como assistente de realização, acompanhando, nessa tarefa, J. Lee Thompson em OS CANHÕES DE NAVARONE (1961) e Tony Richardson em A TASTE OF HONEY (1968).

Após a sua estreia como realizador em 1963, BULLITT (1968) — aquela icónica sequência, com dez minutos, de perseguição automóvel foi idealizada por ele —, OS QUATRO DA VIDA AIRADA (1979) e O COMPANHEIRO (1983) granjeou-lhe uma dedicada falange de adeptos e quatro nomeações aos Óscares.

Faleceu hoje, em Londres, vítima de doença prolongada.

Sem comentários: