quinta-feira, maio 05, 2011

Agenda Cinematográfica



A Corredor Associação Cultural promove, durante o presente mês de Maio, um ciclo dedicado ao cinema erótico — ou, como é carinhosamente apelidado, "colorido":

. O AMOR NATURAL (1996), de Heddy Honigmann
(05 de Maio, 21h30)



Depois da morte do poeta Carlos Drummond de Andrade, foram necessários algunos anos para o seu livro "O Amor Natural" (1992) ser publicado. Neste filme, pessoas idosas do Brasil lêem poemas eroticos desse livro em frente da camara. As leituras despertam neles memorias de amor e apaixonadas discussões sobre erotismo.

. SERBIS (2008), de Brillante Mendoza
(12 de Maio, 21h30)



Uma família filipina vive num velho cinema de província que passa filmes pornográficos. Porém, o público que frequenta a sala não lhes dã atenção, pois a penumbra da sala é a atmosfera ideal para uma variedade de 'serviços' sexuais entre prostitutos e clientes. O filme dá-nos uma perspectiva abrangente do quotidiano desta família enquanto cada um deles lida com os pecados e vícios de uns e de outros.

. SEX AND ZEN (1991), de Michael Mak
(19 de Maio, 21h30)



Um homem pretende melhorar as suas relações com as mulheres mas os seus planos não irao resultar como deseja... Esta é a sinopse muito resumida deste filme baseado numa novela escrita durante a dinastia Ming. Cheio de cores e de húmidas sensaçoes, "Sex and Zen" trata o tema do sexo com certa crueza mas é uma das comédias mais conhecidas do cinema chinés.

. CRASH (1996), de David Cronenberg
(26 de Maio, 21h30)



Um acidente de trânsito envolve um publicitário e um casal, cujo marido morre e a mulher fica em estado grave. Quando se recupera, ela e o publicitário se tornam amantes e conhecem um grupo de pessoas cujo fetiche sexual é reconstituir acidentes automobolísticos sem nenhuma segurança, aumentando a excitação de todos.

[Fonte: Corredor Associação Cultural]

1 comentário:

ArmPauloFer disse...

O "Crash" do Cronenberg é já um filme mitico e de culto mas o meu destaque recai totalmente por "Serbis" que é um filme magnetico mas não pela temática que se faz crer nesta programação (que até é bastante contido).

O Serbis dá-nos um retrato de uma grande familia, que para poder sobreviver continua a manter um cinema erótico/XXX, onde obviamente atrai muita gente e uma certa classe gay faz dele o ponto de contacto, tornando-se repleto de prostitutos sobretudo. Mas isto é tudo apenas uma parte de fundo, pois o potente do filme é a família que vamos percebendo, ser algo disfuncional, cheia de segredos, amores reprimidos, ilusões (principalmente dos mais novos), frustrações, desilusões (dos mais velhos ao verem não terem conseguido melhor, aliado a um certo problema de honra familiar).
Muito bom e cativante. Recomendo a descoberta, para todos aqueles que não têm problemas em ver um pouco de tudo!

Há mais títulos que poderiam ser ponderados para o certame, tais como "9 songs" ou "Shortbus"...