quinta-feira, maio 05, 2011

#9



... segundo a opinião do Roberto Simões, do blog Cineroad — A Estrada do Cinema:

1. TRILOGIA O SENHOR DOS ANÉIS
(2001, 2002 e 2003, The Lord of the Rings, Peter Jackson)



2. CLUBE DE COMBATE
(1999, Fight Club, David Fincher)



3. THE FOUNTAIN — O ÚLTIMO CAPÍTULO
(2006, The Fountain, Darren Aronofsky)



4. TITANIC
(1997, Titanic, James Cameron)



5. UM SONHO ENCANTADO
(2006, The Fall, Tarsem Singh)



6. O FABULOSO DESTINO DE AMÉLIE
(2001, Le fabuleux Destin d'Amélie Poulain, Jean-Pierre Jeunet)



7. 2001: ODISSEIA NO ESPAÇO
(1968, 2001: A Space Odyssey, Stanley Kubrick)



8. O LADO SELVAGEM
(2007, Into the Wild, Sean Penn)



9. MAGNÓLIA
(1999, Magnolia, Paul Thomas Anderson)



10. REINO DOS CÉUS — VERSÃO DO REALIZADOR
(2005, Kingdom of Heaven, Ridley Scott)



--//--

Obrigado, Roberto, pela tua participação!

15 comentários:

Sofia disse...

Olá Sam e Roberto. Eximia lista. Tirando o Titanic (que é um problema meu) gosto muito de todos. Alguns encaixariam perfeitamente no meu Top

Luís Azevedo disse...

O número 7 é uma obra-prima! Bons filmes no geral!

Nuno Pereira disse...

Uma lista de muitos filmes reconhecidos do grande publico...

Surpreende-me apenas a inclusão do Reino dos Céus. Essa versão ainda n tive oportunidade de ver.

João Bizarro disse...

O Titanic destoa em qq lista dos melhores.
Por outro lado é bom ver ai a versão do realizador do Reino dos Céus que é 1000x melhor que a que a produtora lançou nos cinemas.

ArmPauloFer disse...

Apenas não vi o The Fall e o a Dir.Cut do Kingdom oh Heaven (só a normal, que achei jeitosinho...) e os restantes constituem uma lista muito interessante, pois são 8 muito boas propostas sem dúvida.
Contudo, imaginaria que uma lista do Roberto tivesse á mistura certos títulos... diferentes ou mais títulos antigos ou um outro até mais desafiante. Mas é um top inegável realmente. Well done, Roberto!

(Obs: Samuel, mais um pouco mais de tempo, que está a ser um work-in-progress...)

brain-mixer disse...

Ahhh The Fountain!
"One more to the club!"

Rui Francisco Pereira disse...

Gostei sobretudo do último lugar ;)

Bruno Cunha disse...

O Roberto é uma das pessoas que mais admiro na blogoesfera. A sua lista, só o comprova.

Abraço
Frank and Hall's Stuff

Jorge disse...

Grande lista, com títulos mais que óbvios para quem segue o Cineroad, e são todos exímias obras de arte. Destaco sobretudo Titanic e Kingdom of Heaven (a versão do realizador vale mesmo a pena) por serem filmes menos citados habitualmente mas que detém imensa qualidade.

(Samuel a minha também está in progress, mas já não devo demorar muito para te enviar :)

abraço

Roberto Simões disse...

Agradeço desde já o convite do Samuel, que com esta iniciativa tem centrado as atenções da blogosfera no seu blogue e na partilha entusiasta de paixões. Os meus parabéns pela iniciativa, que tem mantido escolhas de um nível verdadeiramente assinalável.

Agradeço ao Bruno pela estima que me tem. Oxalá faça por merecê-la.

Mais do que qualquer lista, a lista d"os filmes da minha vida" é a mais pessoal. Contém os filmes que mais marcaram e marcam a vida de alguém. Eu sou um cinéfilo de paixões fortes, ainda que na crítica desta arte coloque a isenção e objectividade num prato importante da balança. Na elaboração desta lista, contudo, fiquei-me pelas paixões. Pelos filmes que mudaram a minha vida, que me inspiraram sobre todos os outros, pelos quais nutro uma admiração inestimável. São os filmes que gostaria de ter realizado, que levaria para uma ilha deserta, que gostaria de rever nas vésperas da minha morte. Seriam os filmes que gostava que todos admirassem de igual forma, que recomendo e durante os quais reflicto a arte e a vida.

Costumo dizer que sou um cinéfilo muito visual - o visual é um atractivo fundamental num filme sem que, por si só, isso signifique que o filme seja superficial. Para alguns, um visual arrebatador, tecnicamente irrepreensível, pode significar artifício que merece ser renegado. Arte é artifício, e sem qualquer tabu quando à evidência, adoro ser deslumbrado.

Cada um dos filmes que escolhi, à sua maneira, é deslumbrante. As imagens cinematográficas têm um poder essencial na arte de contar a história. Eis 10 excelentes casos.

REINO DOS CÉUS DC é, desde a sua estreia, o filme que vejo e revejo mais vezes por ano. É um ensaio tremendo sobre o Homem e a Religião, para além de contar com um Ridley Scott no auge das suas capacidades. O filme é um êxtase em quase todos os sentidos. Uma lição de como os cineastas de hoje aprenderam com os cineastas de ontem e herdaram o legado com apurado amor à arte.

Sou um cinéfilo que jamais escondeu as suas paixões e este REINO DOS CÉUS de Ridley Scott é exemplo. Causo confusão a muitos quando posso ver Tarkovski num dia, Ridley Scott no outro, Herzog ao Sábado e James Cameron ao Domingo. Sou porventura um dos mais ecléticos cinéfilos entre os meus colegas da blogosfera - o que para muitos é incompreensível. Cá para mim, estou de saúde perfeita. Mas nunca se sabe.

Por falar em controvérsias, TITANIC consta na minha lista. James Cameron. É um dos filmes que mais me apaixona pelo cinema, que mais me emociona. Eu gosto de me deixar emocionar. Sentir emoções revigora-me ou estremece-me - penso que isso é comum a todos - e daí resulta um prazer inestimável. Sou romântico, e aquela relação Jack-Rose apaixona qualquer romântico. No entanto, sou romântico, gosto do TITANIC e não me sinto estúpido. Cá para mim, estou de saúde perfeita. Mas nunca se sabe.

Roberto Simões disse...

A'O SENHOR DOS ANÉIS devo praticamente toda a minha vida desde os meus 15 anos. Graças a'O SENHOR DOS ANÉIS apaixonei-me pela literatura, da paixão pela literatura apaixonei-me pelos poetas, pela língua portuguesa. A'O SENHOR DOS ANÉIS devo a minha formação académica em Língua e Literatura Portuguesa. O SENHOR DOS ANÉIS - A IRMANDADE DO ANEL, versão alargada foi, a par do TITANIC, o meu primeiro DVD. A'O SENHOR DOS ANÉIS devo a minha DVDteca com centenas de títulos. Se não fosse O SENHOR DOS ANÉIS não me tinha apaixonado pelo cinema, não tinha criado o CINEROAD e não estava aqui a escrever este texto. Não tinha vindo estudar para Lisboa, não conheceria as pessoas que conheci e que hoje são a minha família.
Enquanto pedaço de arte, O SENHOR DOS ANÉIS transcende-me por completo. A todos os níveis. É o meu filme favorito.

MAGNOLIA ensinou-me que perdoar não é impossível e o quão importante é não perdermos a vida com zangas com as pessoas de que gostamos, tantas vezes da nossa família. Os filmes são também um manual de filosofia, de psicologia. CLUBE DE COMBATE, sem sair do divã, confrontou-me com a verdade nua e crua das pessoas com as quais me cruzo todos os dias na rua: a sociedade. A partir desta consciência alargada que os filmes nos permitem, só não nos tornamos pessoas melhores se tivermos um mau íntimo. Com O LADO SELVAGEM dei um pontapé terminal nas convenções sociais que nos impedem sermos verdadeiramente felizes e assumi uma nova viagem na minha vida, ou uma nova direcção.

2001: ODISSEIA NO ESPAÇO é a prova de que a procura do belo e da transcendência na arte é transversal às mais variadas épocas e gerações. Transcendeu ontem e transcende-me hoje. THE FOUNTAIN, o entendimento da morte, a possibilidade do amor eterno. AMÉLIE, o prazer das coisas simples, de viver de forma simples e a valorizar as pequenas coisas.

THE FALL é assustadoramente belo, de um perfeccionismo visual tremendo. As alegorias que descubro na proposta são um complemento ao fascínio que brota daquelas imagens, frame a frame. Ainda se fazem filmes assim, reforçando a minha crença no cinema e na arte.

Eu que levo um blogue inteiro a falar de arte e a reconhecer os méritos artísticos das mais variadas obras, dei por mim a dissertar meramente sobre paixões e sobre as influências meta-artísticas dos filmes. Mas não é também isto falar de filmes, mesmo para quem tentar estudar os filmes para além do coração?

Poderia ter escolhido N filmes para figurar nesta lista. Antes disso, preferi dar um testemunho daquilo que mais me motiva no cinema.

Roberto Simões
CINEROAD

Neuroticon disse...

Com todo o respeito que tenho pelo Roberto, esperava muito mais de uma lista dele... :)

Álvaro Martins disse...

Subscrevo as palavras do Neuroticon :)

Catarina Norte disse...

Excelentes escolhas do Roberto; muitas poderiam constar também de uma lista minha! Mais que isso, estou em perfeita sintonia com as suas justificações, quando diz que estes são as suas paixões, são os filmes que mudaram a sua vida e o inspiraram...para mim,são também estes os motivos que fazem sentido em escolhas tão pessoais como estas. Faço minhas as palavras do Bruno ao partilhar a minha estima pelo Roberto, não só pelas suas escolhas e todo o seu trabalho, mas igualmente pela maturidade e despretensão com que as defende!

Parabéns, Sam, pela excelente iniciativa! (Conto enviar as minhas escolhas muito em breve!)

Roberto Simões disse...

Obrigado, Catarina ;)

Roberto Simões
CINEROAD