segunda-feira, março 12, 2012

Iniciativas Conjuntas #7

A convite do TVDependente, fui desafiado a deixar temporariamente de lado os meus textos sobre Cinema e revelar uma das minhas "predilecções televisivas". No caso, esta fantástica preciosidade britânica intitulada THE THICK OF IT:

--//--



Numa época em que o vulgar cidadão interroga-se sobre a competência e fiabilidade dos Governos que comandam os destinos políticos da Europa e do Mundo, manda o senso comum escolher das duas, uma: ou adoptam-se formas pró-activas de luta ou expressa-se insatisfação, revolta e outros sentimentos negativos similares numa urna de voto. Pois bem, aproveito o convite de colaboração, que me foi proposto pelo TVDependente, para apresentar uma terceira e mais "descontraída" opção: ver as três temporadas de THE THICK OF IT, uma das paródias políticas televisivas mais cáusticas, transparentes, hilariantes e indecorosas alguma vez produzidas em terras de Sua Majestade.

Mesmo que não nutram qualquer simpatia por actividades governamentais, protagonistas políticos ou actualidades noticiosas, THE THICK OF IT é o género de série em que o interesse cresce de forma proporcional ao número de episódios a que se assiste (ninguém se arrependerá de lhe dar uma hipótese...), nomeadamente por "despir" a Política do seu lado mais institucional, privilegiando a abordagem jocosa, perspicaz e assustadoramente credível do que acontece nos bastidores de ministérios e gabinetes políticos, da relação entre poder executivo e meios de comunicação social, de assessores de comunicação decididamente mais conscientes da realidade que os titulares dos cargos públicos, de spin doctors com estranhos sentidos e métodos de ideologia política e das nuances que a "negação da negação" de uma notícia lesiva pode conter.

Descendente directo de SIM, SR. MINISTRO e THE OFFICE no formato (exibição de inaptidão política filmada em estilo mockumentary) e num prisma totalmente oposto ao de OS HOMENS DO PRESIDENTE na temática (um retrato de idealistas realmente comprometidos em servir os interesses dos eleitores), muito do seu sucesso deve-se a dois intervenientes: Armando Ianucci, o criador da série, que soube convocar aqueles que são, muito provavelmente, os argumentistas mais sagazes e inventivos da actualidade, sobretudo na forja dos insultos mais desarmantes, infames e ordinários de que há memória em produto de ficção para TV...

…o que nos leva ao segundo interveniente e o protagonista de THE THICK OF IT: uma "criatura" baptizada de Malcolm Tucker (Peter Capaldi no papel que o tornará, definitivamente, imortal), o vulcânico, manipulador, ameaçador e omnisciente director de comunicações do PM Britânico, hábil em colocar uma desvantagem a funcionar em seu favor e sempre em aparente risco de sofrer uma apoplexia de cada vez que um membro do Governo obriga-o a um desagradável damage control:



THE THICK OF IT (por enquanto?) não conhece exibição, tanto em canal aberto como de cabo, em Portugal, mas as três temporadas da série são facilmente adquiridas on-line. E se este texto de alguma utilidade for, que pelo menos incite o vosso espírito de aventura no que a séries de televisão diz respeito.

Conheçam ministros com menor capacidade de diálogo que Maria de Lurdes Rodrigues. Observem directores de comunicação capazes de espumar de raiva caso tivessem de lidar com as repercussões de uma certa "amena cavaqueira" entre Vítor Gaspar e um ministro das Finanças alemão. Entendam que, com um humor britânico inspirado, nenhuma cor partidária ou líder político estarão a salvo...

[Agradecimento especial ao Vítor Rodrigues pelo convite.]

Sem comentários: