domingo, setembro 09, 2012

SIDE BY SIDE (2012), de Christopher Kenneally



Documentário que investiga a história, processo e fluxo de trabalho na criação de cinema digital e fotoquímico. Realizadores, directores de fotografia, coloristas, técnicos, engenheiros e artistas revelam as suas experiências e sentimentos sobre como trabalhar com a película e o digital — onde estamos agora, como chegamos até aqui e o que o futuro pode trazer — sinopse traduzida e adaptada do site oficial do filme.



Um dos grandes e mais "silenciosos" debates a decorrer, actualmente, no seio de praticamente toda a produção cinematográfica mundial encontra em SIDE BY SIDE o veículo privilegiado para a explicação dos contornos, resultados e consequências da decadência da película/crescente adopção do digital na Sétima Arte.

Nenhum aspecto fica, felizmente, por abordar — cronologia de progressos tecnológicos, aspectos económicos inerentes a cada formato, influência da película e do digital nas opções estéticas de cada cineasta, o futuro da preservação cinematográfica — e aqueles que vivem o Cinema para além do "resultado final" encontrarão aqui diversos e satisfatórios motivos de interesse.







A capacidade de Kenneally e Reeves em reunir o impressionante painel de opiniões de SIDE BY SIDE (Martin Scorsese, George Lucas, James Cameron, David Fincher, Christopher Nolan, David Lynch, Steven Soderbergh, Danny Boyle, Lars von Trier e alguns dos principais directores de fotografia de todos os tempos como Vittorio Storaro, Vilmos Zsigmond ou Michael Ballhaus) e, nesse processo, expor convincentemente cada posição, almeja uma total neutralidade de opinião do documentário — factor essencial para o género — e suscita no espectador uma avaliação muito pessoal acerca do tema em análise.

Não encontraremos aqui as respostas definitivas para algumas das incertezas ainda associadas à revolução digital. Contudo, introduz e aborda o presente "estado de coisas", de forma simples e eficaz, a um número significativo de cinéfilos e espectadores e será uma questão de tempo até a "discussão" subir de tom. Obrigatório.

2 comentários:

Inês Moreira Santos disse...

Como sabes, ainda me aguçaste mais a curiosidade quanto a este documentário que irei, certamente visualizar assim que me seja possível. :)

Excelente crítica, como sempre.

Cumprimentos cinéfilos :*

Sam disse...

Inês, tenho a certeza que vais gostar: é lúdico, informativo e, tal como refiro no texto, muito eficaz para a percepção de todas as implicações deste processo.

Há que fazer para que o vejas o mais brevemente possível ;) para que todos o vejam! :)

Cumps cinéfilos :*