sábado, março 16, 2013

O Cinema dos Anos 2000: En construcción, de José Luis Guerín




Algures entre a orgânica de um documentário etnográfico e o cinema "árido" de Pedro Costa, EN CONSTRUCCIÓN é o retrato discreto mas estimulante da deslocação geográfica, estratificação social e obliteração cultural economicamente imposta ao bairro de El Chino, em Barcelona.

Enquanto regista ostensivamente a construção de um condomínio naquele bairro, financiado com dinheiros comunitários e parte integrante de um projecto com aspirações de requalificação residencial, José Luis Guerín concebe um documentário provocador e poético sobre a marginalização de vidas arrastadas pelo fluxo constante de demolição, construção, urbanização e despovoamento que a objectiva do filme captou ao longo de 18 meses. Na senda de um suposto renascimento económico, o elo mais fraco acaba por se revelar na gradual recessão (quase se poderia apelidar de "ocultação") da comunidade circundante às obras: emigrantes clandestinos, operários não-comunitários e trabalhadores sem segurança de prolongamento contratual após o término dos empreendimentos, assim como os naturais de El Chino que observam, serenos, impotentes e a partir das janelas de apartamentos que os próprios sabem um dia terem de abandonar, o inexorável erguer de habitações das quais nunca terão capacidade orçamental de usufruir.

Esta dicotomia é sublinhada por Guerín através do foco em Juani e Iván, um casal jovem que, no início do filme, acaba de receber ordem de despejo pela incapacidade de pagar a renda mensal. Sobrepondo a iminente condição de sem-abrigo dos protagonistas com o plano em que uma equipa de demolição arrasa o arruinado prédio de apartamentos (o qual ostentava um graffiti com o nome de Juani) para dar lugar a mais um novo local de construção, EN CONSTRUCCIÓN subverte a noção institucional de requalificação urbana em prol de uma nova economia. Pelo contrário, é uma dinâmica que apenas substitui a anterior, sem garantias de estabilidade social nem respeito cultural — nesse âmbito, o filme prende-se, a certa altura, na descoberta das ossadas e ruínas de um cemitério romano em El Chino, a imagem derradeira da impossibilidade de total descarte histórico das acções humanas.

Importante objecto de análise em torno da austeridade antes da afirmação da austeridade económica contemporânea, é obra fundamental para a compreensão do documentarismo dos anos 2000.

por Samuel Andrade.

Palmarés
. Prémios Goya: Melhor Documentário
. Festival Internacional de San Sebastián: Prémio Especial do Júri (José Luis Guerín), Prémio da Crítica, Prémio FIPRESCI,
. Fotogramas de Plata: Melhor Filme


Sobre José Luis Guerín

Com importante background de cinema experimental, Guerín mistura, propositadamente, mecanismos de ficção e documentário para tecer narrativas dedicadas ao que a realidade tem de mais profundo e misterioso. São exemplos disso LOS MOTIVOS DE BERTA (1984), COMBOIO DE SOMBRAS (1997), EN LA CIUDAD DE SYLVIA (2007) e CORRESPONDENCIA JONAS MEKAS - J.L. GUERIN (2011).



Sem comentários: