domingo, março 24, 2013

O Cinema dos Anos 2000: Uma Mente Brilhante, de Ron Howard




Em 2001, Hollywood distinguiu largamente UMA MENTE BRILHANTE, produto tipicamente Hollywoodiano na capacidade de simplificar — seguindo todas as "regras" de um filme apoiado nos mais conservadores modelos da indústria cinematográfica norte-americana — a complexa e tortuosa história de John Forbes Nash Jr., para alguns o matemático mais brilhante da segunda metade do Século XX, acossado por uma esquizofrenia, apenas diagnosticada em idade adulta, que lhe condicionou a vida matrimonial e um estável percurso profissional.

Ron Howard extravasa a mera disposição biográfica (não obstante o facto de o filme ter sido rodado segundo a ordem cronológica dos acontecimentos) através de uma resoluta construção das personagens, na sua maioria assentes num elenco seguro e em topo de forma. E o protagonismo de Russell Crowe distingue-se neste âmbito: encarnando Nash Jr. como figura obcecada mesmo antes da plena manifestação do seu distúrbio, genial na sua atenção pelas potencialidades matemáticas da interacção entre pombos de jardim ou (naquela que, pelo seu imaginativo trabalho visual, é uma das sequências mais surpreendentes do filme) na explicação empírica do amor à primeira vista, arrogante e mimado conforme tradição do ambiente social a que pertencia e destinado à consagração pelos seus pares cientistas.

Sentimental e despretensioso, UMA MENTE BRILHANTE confirma a agilidade do mainstream norte-americano dos anos 2000 como poucos: conservador na exposição de um argumento que, em atenta análise, não é inteiramente original (simultaneamente próximo e arredado da veracidade dos eventos em que se inspira), mas cativante pela busca de uma aproximação fílmica realista ao espectador e de sabor contemporâneo no recurso à tecnologia digital ao serviço do “clássico” drama de Hollywood.

por Samuel Andrade.

Elenco
. Russell Crowe (John Nash), Ed Harris (Parcher), Jennifer Connelly (Alicia Nash), Christopher Plummer (Dr. Rosen), Paul Bettany (Charles), Adam Goldberg (Sol), Josh Lucas (Hansen)


Palmarés
. Oscars da Academia: Melhor Filme, Melhor Realizador (Ron Howard), Melhor Actriz Secundária (Jennifer Connelly), Melhor Argumento Adaptado (Akiva Goldsman)
. BAFTA: Melhor Actor (Russell Crowe), Melhor Actriz Secundária (Jennifer Connelly)
. Globos de Ouro: Melhor Filme — Drama, Melhor Actor — Drama (Russell Crowe), Melhor Actriz Secundária (Jennifer Connelly), Melhor Argumento (Akiva Goldsman)
. Directors Guild of America: Melhor Realização — Cinema
. Writers Guild of America: Melhor Argumento Adaptado (Akiva Goldsman)
. Screen Actors Guild: Melhor Actor (Russell Crowe)
. Satellite Awards: Melhor Actriz Secundária — Drama (Jennifer Connelly), Melhor Tema Original ("All Love Can Be", James Horner e Will Jennings)


Sobre Ron Howard

Actor criança, Roger Corman apadrinhou o início da sua carreira como realizador, constituída por uma abordagem comercial à capacidade humana de superar a adversidade. Da sua filmografia, destacam-se SPLASH, A SEREIA (1984), MAR DE CHAMAS (1991), APOLLO 13 (1995) e FROST/NIXON (2008).



Sem comentários: