domingo, junho 02, 2013

O Cinema dos Anos 2000: Rapariga com Brinco de Pérola, de Peter Webber




Na relação entre o Cinema e as artes plásticas, RAPARIGA COM BRINCO DE PÉROLA abrange, em doses generosas e equilibradas, a vertente biográfica e a inspiração estética do filme dedicado à vida e obra de um pintor. No caso presente, observamos Johannes Vermeer (Colin Firth), quase falido, a carregar o fardo de um matrimónio de conveniência e que, a partir da encomenda de um dos seus financiadores regulares, acaba por compôr o quadro que muitos consideram a "Mona Lisa do Norte". A identidade da modelo patente em Rapariga com Brinco de Pérola nunca foi revelada nem, tampouco, os detalhes subjacentes à natureza e intimidade daquele olhar que nos mira penetrante e quase displicentemente.

Tais factos permitem ao realizador Peter Webber, a partir do romance homónimo de Tracy Chevalier, desenvolver uma narrativa, em mote de "História (re)inventada", sobre a origem, jogos de poder sociais e amor proibido em torno de um dos quadros mais célebres da pintura holandesa do Século XVII. É, contudo, na abordagem visual que RAPARIGA COM BRINCO DE PÉROLA se destaca, numa direcção de fotografia — assinada pelo português Eduardo Serra — cromaticamente infundida pelos padrões artísticos da época, convertendo todos os fotogramas em quadros vivos, manipulando a cor e luz tal como nos quadros de Vermeer (ou de nomes como Rembrandt e Jan de Bray) e culminando na climática encenação da obra que dá título ao filme: um momento de genuína graça e silenciosa beleza, em que a Rapariga com Brinco de Pérola (encarnada por Scarlett Johansson) surge, fulgurante e inesperadamente, perante os nossos olhos.

No seu género, RAPARIGA COM BRINCO DE PÉROLA é o equivalente, para os anos 2000, da influência e modus operandi de filmes como ANDREI RUBLEV (1966, Andrei Tarkovsky), CARAVAGGIO (1986, Derek Jarman) e VAN GOGH (1991, Maurice Pialat) para o estudo da constante e simultânea aproximação e demarcação do Cinema e Pintura. É a partir dos paradigmas desta última que a câmara de Webber enquadra, ilumina e foca, concebendo, assim, um trabalho cinematográfico metódico na exposição de sentimentos através da imagens, sem ser demasiado palavroso ou em dependência das suas personagens. RAPARIGA COM BRINCO DE PÉROLA almeja ombrear com outros filmes repletos de CGI onde, aqui, o efeito visual é a própria luz.

por Samuel Andrade.

Elenco
. Colin Firth (Johannes Vermeer), Scarlett Johansson (Griet), Tom Wilkinson (Pieter van Ruijven), Cillian Murphy (Pieter), Judy Parfitt (Maria Thins), Essie Davis (Catharina Bolnes)


Palmarés
. Prémios da Academia Europeia: Melhor Fotografia (Eduardo Serra)
. Festival Internacional de San Sebastián: Melhor Fotografia (Eduardo Serra), Prémio C.I.C.A.E. (Peter Webber)
. Círculo de Críticos de Los Angeles: Melhor Fotografia (Eduardo Serra), Prémio Nova Geração (Scarlett Johansson)



Sem comentários: