terça-feira, maio 18, 2010

Festival de Cannes 2010 — Dia 6



Foi um fantástico dia para os apreciadores do denominado Cinema de Autor. Três filmes concebidos por três eclécticos e díspares cineastas marcaram presença na Croisette.

Na "corrida" pela Palma de Ouro, foi exibido BIUTIFUL, de Alejandro Gonzalez Iñárritu, centrado na figura de Uxbal (Javier Bardem), dividido entre o futuro dos seus filhos e a sobrevivência no gueto em que está inserido:



Construindo, pela primeira vez na sua carreira, uma história linear, mas sem deixar de analisar os efeitos da globalização junto dos que vivem no limiar da miséria, BIUTIFUL não foi, contudo, recebido unanimemente pela crítica especializada, dividida entre os que o consideram como «um eminente candidato à Palma de Ouro» ou, do outro lado da "barricada", descrito como «um filme de fugir» no sentido literal da expressão. Opiniões à parte, Iñarritu enunciou, durante a conferência de imprensa, a mensagem que o motivou nesta obra: «Embora as trevas pareçam estar em todo o lado, BIUTIFUL oferece imensas perspectivas de esperança. Atrevo-me a dizer que este é o meu filme mais optimista». Argumentos ao critério do júri presidido por Tim Burton...

Javier Bardem e Alejandro Gonzalez Iñarritu

Maricel Alvarez observa Iñarritu durante a conferência de imprensa

Também em Competição, foi exibida a nova obra de Takeshi Kitano dedicada à Yakuza, OUTRAGE:



Dez anos depois de BROTHER, o regresso de Kitano ao crime organizado nipónico caracteriza-se pela predominância da violência verbal e psicológica, relegando os tiroteios e derramamento de sangue para segundo plano. «Se repetisse os mesmos métodos, seria monótono. Quis demonstrar algo evoluído. Por isso, incluí mais sequências de diálogos».

Takeshi Kitano a almejar uma futura carreira como fotógrafo?

Jean-Luc Godard, um dos "pais" da Nouvelle Vague, está de regresso e apresentou, na secção «Un Certain Regard», a sua mais recente "experiência cinematográfica", FILM SOCIALISME:



O filme — 100 minutos de imagética caleidoscópica acompanhada por textos em estilo SMS — esteve presente, mas o cineasta não. Godard cancelou a sua agendada conferência de imprensa por "problemas de foro Grego": a verdadeira "essência" desta justificação ainda está por explicar. Quanto a FILM SOCIALISME, foi recebido com calorosos aplausos da crítica, embora tenha encontrado maior frieza por parte do público.

Sem comentários: