sábado, janeiro 22, 2011

Iniciativas Conjuntas #3

Sem hesitação nem pretensiosismo, afirmo que a comunidade blogger cinéfila é uma das mais dinâmicas em Portugal. Segue um exemplo.

A convite do Roberto Simões, autor do CINEROAD — A Estrada do Cinema, fui desafiado a enunciar cinco filmes que considero serem obras-primas incontestáveis, tendo como critério principal o meu gosto pessoal. Assim, estas foram AS INCONTESTÁVEIS do Keyzer Soze's Place:

--//--



obra-prima, s. f.
1. Obra primorosa, perfeita, das primeiras no seu género.
2. A melhor obra de um autor.



. RASHÔMON — ÀS PORTAS DO INFERNO (1950), de Akira Kurosawa

«Grande responsável por abrir o Cinema Japonês ao mundo ocidental e o meu filme favorito de Kurosawa. Narrativamente revolucionário, a opção de analisar um crime pela perspectiva dos quatros protagonistas, gerando quatro versões totalmente diferentes, é o toque seminal desta obra que hoje cativa espectadores da mesma forma que os atraía há 60 anos. A fotografia é uma das mais inovadoras da história da Sétima Arte e está para surgir o filme que não beba inspiração a RASHOMON. Por fim, as fabulosas interpretações de Toshiro Mifune e Machiko Kyo, de enorme profundidade psicológica, que transformam as suas personagens em objectos de imprevisibilidade e decepção ao longo de todo o filme.»

. 2001: ODISSEIA NO ESPAÇO (1968), de Stanley Kubrick

«Quem me conhece, sabe que esta escolha era obrigatória... :) Possuidor, simultaneamente, das imagens e ideais mais hipnóticos que o Cinema já testemunhou, o filme de Kubrick arrebata pela sua abordagem realista à ficção-científica, expõe tremenda tensão pautada apenas pelo som dos aparelhos de respiração usados pelos astronautas e o seu argumento metafórico, à mercê de diversas interpretações, é exímio na capacidade de nos transformar a todos em "espectadores emancipados".»

. TEMPOS MODERNOS (1936), de Charles Chaplin

«Enquanto principal figura da pantomima no Cinema, Chaplin exibe aqui um magnífico tour-de-force performativo (que, por si só, justificaria o estatuto de obra-prima), explorando temáticas que nunca pareceram tão actuais como hoje e tem um dos finais mais belos de sempre. A comédia, um dos primeiros géneros da Sétima Arte, é brilhantemente tratada com o drama e romance presentes no argumento e, enquanto cinéfilo, quem poderá resistir ao facto de se ouvir, pela primeira vez, a voz do Little Tramp? Inesquecível.»

. O ÚLTIMO ANO EM MARIENBAD (1961), de Alain Resnais

«Talvez o "filme cinematográfico" por excelência. Resnais investiga os mistérios da memória, contando uma história quase banal recorrendo à mais arrojada narrativa não-linear (realidade, fantasia e especulação romântica conseguem fundir-se numa única cena, monólogos interiores ecoam pelos corredores do palácio onde a acção acontece) e de uma fulgurante direcção de fotografia que reflecte os sentimentos e as emoções do casal protagonista. Tudo é possível em MARIENBAD... excepto não ficarmos presos ao ecrã.»

. APOCALYPSE NOW (1979), de Francis Ford Coppola

«Nenhum título, antes ou depois, conseguiu representar tão eficazmente aquele velho ditado «a guerra é um inferno». Mas Coppola vai mais longe, e aqui a guerra não é um, é O inferno. A angústia do ser humano num conflito incompreensível expressa-se pela audácia, assombro — a fotografia é exímia em suscitar estados de espírito — e apelo às nossas convicções pessoais que as imagens provocam. Para além disso, ninguém mais ouvirá do mesmo modo a Cavalgada das Valquírias depois de ver este filme.»

--//--

Nota: não deixem de visitar o CINEROAD, onde podem visualizar surpreendentes e diversificadas escolhas por parte da blogosfera cinéfila portuguesa.

Obrigado, Roberto, pelo convite!

3 comentários:

Roberto Simões disse...

Obrigado pela participação e, desta feita, pela publicidade ;)

Faltou mencionar que o grupo dos bloggers cinéfilos do Facebook, ideia do autor deste KEYZER SOZE'S PLACE, é igualmente dos spots mais dinâmicos e interactivos deste mundo virtual, entre nós bloggers cinéfilos.

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD - A Estrada do Cinema «

Sam disse...

Roberto, obrigado pelas tuas palavras e, mais uma vez, pelo convite para esta excelente iniciativa. Venham mais!

Cumps cinéfilos.

Jorge Rodrigues disse...

Tal como já disse no CINEROAD também, estas escolhas excelentes não me surpreendem, dada o teu grande sentido de gosto.

Tudo filmes de qualidade, relativamente conhecidos, sem necessidade de recorrer a títulos obscuros só para fazer ver ao pessoal. Parabéns.


Cumprimentos!