segunda-feira, fevereiro 26, 2007

And the winner was...



...sem grandes surpresas, Martin Scorsese (finalmente, o Óscar, finalmente!) e o seu THE DEPARTED - ENTRE INIMIGOS. Embora não o tenha considerado como o Melhor Filme de 2006 (enunciei esta opinião há uns tempos atrás), não restam dúvidas que este resultado serve, primordialmente, como um prémio de carreira e consolação para as anteriores derrotas de "Marty".

E valeu mesmo a pena ter ficado acordado até bem depois das quatro da manhã. Há alguns anos que não assistia a uma cerimónia tão leve e, sobretudo, rápida. Méritos para a anfitriã de serviço, Ellen Degeneres, que fez da sua experiência televisiva uma mais valia: foi uma exibição simples, descontraída e eficaz - brilhante o sketch em que Ellen pretende impingir à aprecição de Martin Scorsese, assim "como quem não quer a coisa", um pseudo-argumento escrito por ela.

Apesar de agradável, não houve grandes surpresas. A única excepção terá sido, provavelmente, a vitória de Alan Arkin na categoria de Actor Secundário, por UMA FAMÍLIA EM APUROS, derrotando o favorito Eddie Murphy.



Por falar em derrotados, ninguém esperaria que BABEL saísse da cerimónia assim tão "desamparado": sete nomeações e apenas uma estatueta (Melhor Banda Sonora). Outro título que saiu "enjeitado" é, seguramente, DREAMGIRLS, apesar da graciosa vitória da estreante Jennifer Hudson para Actriz Secundária — notório o falhanço na categoria de Melhor Canção, onde o filme contava três nomeações, perdendo para o tema do documentário ecológico de Al Gore, UMA VERDADE INCONVENIENTE.



Para terminar, ficaram as definitivas consagrações de Forest Whitaker e Helen Mirren (por O ÚLTIMO REI DA ESCÓCIA e A RAINHA, respectivamente) nas principais categorias de representação.




Assim foi, em termos gerais, a 79ª Entrega dos Prémios da Academia. Para os Óscares, até ao próximo ano.

3 comentários:

Anónimo disse...

Nenhuma estatueta, o Babel? Então a de banda sonora, foi para quem? E a surpresa foi só a de melhor actor secundário? E o melhor filme estrangeiro e melhor filme de animação, foram o quê?

Sam disse...

Foi registada e já pode encontrar a correcção no texto. Foi uma atroz distração, admito-o.

Quanto ao resto, é só ler o post. Convém lembrar que trata-se de um texto de cariz pessoal. Afirmei que "não houve grandes surpresas", e a vitória de Alan Arkin foi a que causou maior frisson, se assim pudermos dizer.

Acha que a vitória de AS VIDAS DOS OUTROS foi surpresa? E a de HAPPY FEET? Opiniões diversas são sempre benvindas aqui...

P.S.: já agora, da próxima vez, deixe aqui o seu nome. Gosto sempre de tratar as pessoas pelo nome próprio.

brain-mixer disse...

Gostei da cerimónia (principalmente aquele àparte da foto tirada por Spielberg :P) mas realmente a surpresa do Happy Feet não me caiu nada bem...

E Babel foi o justo derrotado :D eheheh (riso maléfico!)
A minha maior dor foi ver Children of men não arrecadar nenhuma estatueta. Mas enfim...