segunda-feira, novembro 16, 2009

Óscares 2009: o ano já começou mal!

Basicamente, porque considero haver algo de muito errado com esta imagem:



As três personalidades fotografadas são nomes incontornáveis para uma definição da arte que os celebrizou. A saber (da esquerda para a direita):
. Roger Corman especializou-se na realização de filmes de terror e lançou a carreira de nomes como Jack Nicholson ou Martin Scorsese;
. Lauren Bacall representou algumas das melhores femmes fatales da história da Sétima Arte e foi "peça" de romance — e respectivo matrimónio — nostálgico com Humphrey Bogart;
. Gordon Willis foi o director de fotografia da trilogia O PADRINHO e, por isso, o responsável daquele visual que é tantas vezes prezado e citado.

A Academia das Artes e Ciências Cinematográficas entregou-lhes o Oscar Honorário de carreira num jantar íntimo e formal. Contudo, ficou a dever-lhes a ovação dos seus pares e subsequente testemunho pelo mundo inteiro, uma parte do espectáculo que já se categorizava como das mais importantes da noite. Este ano, a Academia decidiu reservar o momento para o Oscars Governors Ball, privando a cinefilia em geral das palavras de agradecimento dos laureados.

Não é novidade, de há uns anos a esta parte, que a Academia almeja transformar os "mecanismos" da cerimónia de entrega dos Oscares. Mas, afinal, estes ventos de mudança poderão ter um condão mais destruidor do que revolucionário. Palavras assinadas por um cinéfilo que (confesso!) até gosta da emoção que rodeia a entrega do Oscar Honorário...

3 comentários:

Rodrigo de Sá disse...

A Halle Berry ganhou um Óscar num filme em que quase não fala e aparece em metade da história. O Roger Moore foi calado em palco porque estava a falar contra a guerra no Iraque. Ainda consegues levar a sério a Academia?

Sam disse...

Caro Rodrigo,

nunca levei "a sério" a Academia — é tudo show business — mas ainda tenho esperança.

Cumps. cinéfilos.

P.S.: 'Roger' ou 'Michael' Moore?

Rodrigo de Sá disse...

Roger :), desculpa... Já eram 2 da manhã.

Hum... Showbiz... não há esperança que lhe valha.