quarta-feira, outubro 12, 2011

#25



... segundo as palavras da Ana Cardoso, que embora não sendo blogger de cinema, nunca escondeu a sua paixão pela Sétima Arte:

Antes de apresentar as minhas escolhas, queria apenas dizer que estas foram baseadas no apelo pessoal de cada filme. Ou seja, não me vão ver a justificar as minhas opiniões com base na técnica ou no facto de o filme ser um clássico ou não. São filmes tiveram determinado impacto em mim devido à minha idade quando os vi e à altura quando os vi.

Os filmes não estão organizados por ordem alfabética, e não por ordem de preferência.


. ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS
(1951, Alice in Wonderland, Clyde Geronimi, Wilfred Jackson e Hamilton Luske)



Este é o meu filme de animação favorito da Disney. Eu sempre gostei muito de histórias, principalmente mirabolantes, e este filme tinha tudo: comida que fazia crescer, bebidas que faziam encolher, flores que cantavam, exércitos de baralhos de cartas, uma "festa de chá" muito sui generis... Todo aquele absurdo era apelativo para mim e é, sem dúvida, o filme da Disney que mais vezes vi. Até já perdi a conta.

. A BELA E O MONSTRO
(1991, Beauty and the Beast, Gary Trousdale e Kirk Wise)



Mais um filme de animação (e não fico por aqui). A história é um clássico, a heroína é um bom exemplo para pessoas de todas as idades, há objectos que falam, uma batalha na torre de um palácio e tem aquela que, na minha opinião, é a melhor música da Disney: Beauty and the Beast. Mas a versão da Angela Lansbury, não a da Celine Dion.

É sempre bonito mencionar o facto de este ter sido o primeiro filme de animação a ser nomeado para o Oscar de Melhor Filme. Mas eu quando me apaixonei pelo filme ainda não sabia isso. Aliás, acho que aos 4 anos nem sabia o que eram os Oscars.


. EDUARDO MÃOS-DE-TESOURA
(1990, Edward Scissorhands, Tim Burton)



A primeira vez que vi este filme ainda não sabia ler, portanto não conseguia perceber as legendas. A minha prima estava ao meu lado e ia tentando explicar a história. É claro que o meu cérebro de 3 anos não conseguiu reter muita coisa dessa primeira visualização, mas ficou o essencial: 1. era um conto de fadas 2. era um conto de fadas mirabolante. Foi o que bastou. Depois de crescer e de mais umas tantas visualizações, ficou retido o seguinte: 1. era um conto de fadas 2. era um conto de fadas mirabolante 3. era um conto de fadas mirabolante com o Vincent Price. E para mim chega.

. GLADIADOR
(2000, Gladiator, Ridley Scott)



O Gladiator está nesta lista, porque marcou a minha transição entre ver filmes e ver filmes com atenção. Quando o vi pela primeira tinha cerca de 11/12 anos e foi o primeiro filme em que, realmente, comecei a prestar atenção a coisas como interpretação, cenários, iluminação... Foi como que um despertar, por assim dizer. E a partir daí comecei a ver filmes com outros olhos.

. SAGA HARRY POTTER
(2001, 2002, 2004, 2005, 2007, 2009, 2010, 2011, Harry Potter and the Philosopher's Stone, Harry Potter and the Chamber of Secrets, Harry Potter and the Prisoner of Azkaban, Harry Potter and the Goblet of Fire, Harry Potter and the Order of the Phoenix, Harry Potter and the Half-Blood Prince, Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 1, Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 2, Chris Columbus, Alfonso Cuarón, Mike Newell, David Yates)



Já que me foi permitido a pequena "batota" de pôr filmes relacionados na mesma posição, aqui ficam oito de uma vez.

A razão de os filmes do Harry Potter aqui estarem... Não sei bem como lhe chamar.
Geekness? Talvez. Adoro os livros. Foram dez anos a lê-los, a história do Harry e dos amigos é, sinceramente, uma das coisas mais bonitas que já tive o prazer de ler e os filmes estão aqui por causa disso. Porque são a manifestação cinematográfica de sete livros que mais prazer me deram de ler.

. A PRINCESA MONONOKE
(1997, Mononoke-hime, Hayao Miyazaki)



Foi complicado escolher só um do Miyazaki. Muito complicado. São todos maravilhosos. E, sinceramente, nem sei explicar porque escolhi este. Só tinha espaço para um e foi algo um bocado à sorte. O Miyazaki é um génio da animação e do storytelling.

. A PEQUENA SEREIA
(1989, The Little Mermaid, Ron Clements e John Musker)



Adoro a impulsividade e a rebeldia da Ariel, a personalidade do Sebastião e a fabulosa vilã que é a Úrsula. É também o filme que marca o começo da Disney Renaissance e que nos deu alguns dos melhores filmes produzidos pelo estúdio, incluindo os chamados Fabulous Four.

. MÚSICA NO CORAÇÃO
(1965, The Sound of Music, Robert Wise)



Ainda não sabia falar inglês e já sabia cantar as músicas deste filme. Não fazia ideia do que estava a dizer, mas os sons que eu imitava eram bonitos. Este é mesmo um dos melhores exemplos de algo que me marcou na infância e que me acompanhou enquanto crescia. Continuo a saber as músicas de cor e não me canso de ver este filme.

. TRILOGIA TOY STORY
(1995, 1999, 2010, Toy Story, Toy Story 2, Toy Story 3, John Lasseter, Ash Brannon, Lee Unkrich)



Adoro a Pixar. Adoro ao ponto da cegueira. Consigo admitir que alguns filmes podem ter defeitos, mas facilmente consigo ignorar esse facto. E de entre os filmes da Pixar, os que mais adoro são os do Toy Story, principalmente o Toy Story 3. Era miúda quando saíram os dois primeiros e quando o último saiu o ano passado não pude deixar de me identificar com o Andy. Mesmo apesar da minha "cegueira", tento avaliar objectivamente o Toy Story 3 ao dizer que é perfeito. A história prende ao ecrã, os brinquedos fazem rir, dão pena, fazem chorar... E nem são pessoas. São brinquedos. Intangíveis, ainda por cima.

. QUE TERIA ACONTECIDO A BABY JANE?
(1962, What Ever Happened to Baby Jane?, Robert Aldrich)



A interpretação da Bette Davis neste filme é absolutamente fabulosa. Ou assombrosa, melhor dizendo. Vi o filme pela primeira vez há alguns anos e fiquei deslumbrada com ela. E desde então, já voltei a ver o filme muitas vezes e mais. E a sensação de deslumbre é sempre intensa.

--//--

Obrigado, Ana, pela tua participação!

3 comentários:

Ana Cardoso disse...

Obrigada eu pelo convite, Sam!

O Narrador Subjectivo disse...

Lista curiosa, pautada por alguma nostalgia, certamente :) Devo confessar que sou um grande fã do Harry Potter, percebo essa geekness, lol

Sarah disse...

Grande nostalgia que esta lista me deu! ^^

Sarah
http://depoisdocinema.blogspot.com